segunda-feira, 16 de março de 2009

Os poetas nem sempre são pessoas felizes...talvez por serem poetas! Leonard Choen canta Frederico Garcia Lorca

video

Mas que dia de sol! Este é o nosso mar!.

Eu ontem passei o dia
Ouvindo o que o mar dizia.

Chorámos, rimos, cantámos.

Falou-se do seu destino,
Do seu fado…

Depois , para se alegrar,
Ergueu-se, e bailando, e rindo,
Pôs-se a cantar
Um canto molhado e lindo.

O seu hálito perfuma –
E o seu perfume faz mal!

Deserto de águas sem fim…

Ò sepultura da minha raça,
Quando me guardas a mim?...

Ele afastou-se calado;
Eu afastei-me mais triste,
Mais doente ,mais cansado…

Ao longe, o Sol, na agonia,
De roxo as águas tingia.

- Voz do mar misteriosa;
Voz do amor e da verdade!
Ò voz moribunda e doce
Da minha grande saudade!
Voz amarga de quem fica,
Trémula voz de quem parte…



E os poetas a cantar
São ecos da voz do mar!
De António Botto

1897 - 1959
Natural de Abrantes, tornou-se num dos mais discutidos poetas do seu tempo. A sua poesia demonstra um domínio técnico depurado e veicula um narcisismo obsessivo e uma intensa exaltação da beleza masculina.