quarta-feira, 9 de abril de 2014

Uma quarta feira perfeita...



Ir à feira e ao lado passar pela Biblioteca Municipal e sentar a ler as notícias do dia ou de dias já passados.
Mágico...
Isto acontece em Cascais às quartas e sábados...
Para o Sérgio , é ás terças, mas é a feira da ladra.

6 comentários:

Majo disse...

~
~ ~ Agradáveis e serenas sugestões.

~ ~ ~ ~ Está a residir em Cascais?
~ Julgava-a na cidade das "finas areias".

~ A biblioteca tem um aspeto muito romântico.

~ ~ Hoje, desejo-lhe uma tarde de quinta feira
~ muitíssimo amena e aprazível . ~ ~

anamar disse...

Majo,
bom dia , ou já boa tarde...
Pois sou da Praia da Claridade, mas há 40 anos pelas outras praias, não menos claras , as da Linha...

Uma qualidade de vida , materializada na beleza e apoio logistico e tranquilidade.

Vai ser uma belissima tarde sim senhora...

Iremos estar 6 amigos á mesa que se deliciam com as minhas gastronomias figueirenses...

Calcule que até gosto de cozinhar... , e a mesa um lugar de afectos.

Dia bom para si também.

:)

Beatriz disse...

Olá Anamar!

Que delícia passar um dia assim! Essas fotos são de Cascais? Me lembrei dos poucos e bons momentos que passei neste incrível lugar à beira mar......saudades sempre!!!!

Beijinho

Bia
www.biaviagemambiental.blogspot.com

ERA UMA VEZ disse...

Feira da ladra, esta em Lisboa.
Lugar que me pertence um pouco, um Era uma vez da minha vida por duas vezes.

Em 1970 preparava o casamento.

Foram quase três anos da guerra de África a separar-nos fisicamente.
Para ajudar a passar os dias imaginava o lar, a decoração, o conforto, as peças a escolher a dois.

O casão militar era por ali, e por
várias vezes lá comprámos coisas para a casa dos noivos.
Depois um passeio pela feira e às vezes uma ou outra velharia convidava-se a vir connosco.

Passaram alguns anos. Depressa demais.
Um anúncio levou-nos de volta àquele lugar. Ao lado do Tribunal Militar numa ruazinha estreita vendia-se um mini apartamento antigo recuperado, tipo casinha de bonecas num pequeno prédio de quatro andares ligado por escada de madeira estreita.

Uma filha na Faculdade, outro quase nas Belas Artes, contas feitas, talvez não fosse mau negócio.Teriam o seu espaço tranquilamente, uma coisa que sempre valorizaram.

Ele naturalmente ficou mais tempo.
Tratava de tudo sózinho, desde as limpezas, as decorações, passar a ferro, cozinhar e fazer cursos de teatro ao mesmo tempo que a Esbal.
Viveu bem aquela casa.
E quando ganhou os primeiros dinheiros remobilou à sua maneira com muita imaginação pouco gasto e (imagine) pequenos móveis esquecidos pelos feirantes ao fim do dia

O Campo de Santa Clara já ficou lá atrás na nossa história.
O seu texto trouxe-o à memória...
Abraço.





heretico disse...

... e Cascais aqui tao perto!

beijo

anamar disse...

ERA UMA VEZ,

a vida fez-nos percorrer quase as mesmas pedras da calçada dos bairros históricos de Lx.

Fim de semana escrevo-lhe.

Fico sempre feliz quando aparece.

Beijinho

anamar