terça-feira, 28 de abril de 2015

Olhares


Mais triste é termos de nascer e morrer
e haver árvores ao fim da rua

Ruy Belo, A Mão no Arado

6 comentários:

Justine disse...

Belíssimo, Anamar! Fotos do Bresson e poesia do Rui Bello, que mais se pode desejar??
(bom ter-te visto!)

Mar Arável disse...

Belos olhares

Majo disse...

~
~~ Apontamentos poéticos e artisticos
~~ muito interessantes...

~~~ Dias amenos e sorridentes. ~~~

~~~~~~ Beijinhos. ~~~~~~~~~~~~~~
~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~

Graça Pires disse...

Pleno o olhar. Do fotógrafo e do poeta.
E o teu...
Beijo.

heretico disse...

muito "BELO"...

beijo

Monipin disse...

Lindo post, Anamar. Apenas como um contraponto à delicada tristeza transmitida por Rui Bello, deixo aqui um pensamento do Federico Garcia Lorca que li outro dia e que me fez refletir muito: "Como no me he preocupado de nacer, no me preocupo de morir".