quarta-feira, 15 de fevereiro de 2017

Como um jogo de bem- me- quer , mal-me-quer.. São pedras, Senhor....




O senhor Pedro com quem entabulei conversa, sentada no muro perto do Cais das Colunas. 

Perguntei se havia alguma motivação ou movimento para estas esculturas com pedras, na medida em que no verão , em praias alentejanas,  tinha visto um trabalho imenso de pedras naturalmente coloridas.
De brilho nos olhos, ar maroto, pele tisnada pelas horas de sol à beira Tejo, respondeu-me que era uma homenagem à Mulher . E abriu os braços como que a abençoar o Ser que somos. Fingi acreditar ... Mas, também quem sou eu para desconfiar da escolha feita para sua musa? 
A vinda do Papa Francisco com as boas vindas já está montada. 
Perguntei se lhe podia fazer umas fotos , e ele pôs se a jeito. O senhor Pedro parece ser vaidoso e tem jeito para outras artes. Mas fica-lhe bem o ar "estiloso".
Adora estar rodeado de gente e de brincar e de surpreender com a história "dos equilibrios" .
Passem por lá e Pedro fica feliz. 
Eu, passarei sempre, pois a minha entrada pedonal em Lisboa começa sempre pela zona ribeirinha no Cais do Sodré.


2 comentários:

Majo Dutra disse...

Gostei sobremaneira da fina ironia do teu relato, Ana...
~~~ Beijinhos, amiga ~~~

O Puma disse...

Boa viagem por sobre as pedras

Bj