segunda-feira, 31 de janeiro de 2011

O 31 de janeiro e o Porto....


O 31 de janeiro faz parte das minhas memórias de menina e moça, quando à sucapa, em grande secretismo, e, sem perceber bem porquê, via algumas personalidades juntarem-se par o "jantar do 31 de janeiro", isto na Figueira da Foz, onde fui nada e criada...
Só anos mais tarde vim a saber o porquê de "tudo". Fica aqui a explicação de tudo.
E o 1º mês do ano chegou ao fim, frio de corpo e alma. Coisas da República....

sábado, 29 de janeiro de 2011

Uma canção por Cesare Battisti: "Hoje Battisti, amanhã tu"



Só há que passar a mensagem... com uma consulta (wikipedia)

Letra e música de Manuela de Freitas e José Mário Branco

sexta-feira, 28 de janeiro de 2011

Rodrigo Leão & Cinema Ensemble ( A Mãe)... bom fim de semana...

Sophia, toda nossa... graças ao bom senso familiar



Terror de te amar num sítio tão frágil como o mundo

Mal de te amar neste lugar de imperfeição
Onde tudo nos quebra e emudece
Onde tudo nos mente e nos separa


De Sophia M. Breyner (aqui)

* Disse-me voz e coração amigo , que um clássico de João César Monteiro é um filme sobre Sophia chamado "Sereia". Não encontrei referência, mas que foi feito, foi.
Deixo aqui o link , de um belíssimo documentário com Sophia, que um comentador amavelmente deixou, mas nada diz que seja o de JCM.... mas de João Cesar Santos...

Mudam-de os tempos, muda-se alguma paisagem






O Dr. Capucho vai-se ausentar da Cãmara de Cascais por motivos de saúde, dizem. Respeitável.
Agora o que é de respeito duvidoso é estar a se construído dentro das muralhas da Cidadela, um hotel de charme com altura superior , pois terá vista de mar, ao das muralhas...
Aproveitem o passeio até ao Guincho, guardem ainda a imagem da Cidadela como ela é e vejam mesmo ao lado , no Centro Cultural a exposição de Roberto Chichorro , que é grande e bonita...

quarta-feira, 26 de janeiro de 2011

terça-feira, 25 de janeiro de 2011

Sempre com mar à vista... curiosidades

Pintura de Arcimboldo, 1568, "Água". Neste quadro podemos encontrar 34 espécies de peixes e outras 34 de moluscos.

O livro "O Mar no Século XXI", da autoria do Comandante Armando José Dias Correia, vai ser apresentado no Casino da Figueira da Foz sábado, dia 29 de Janeiro, a partir das 17horas
Por ser figueirense e porque tenho sempre o mar como vista, não posso deixar de noticiar o que hoje li e passar a mensagem .
Como para mim o Tejo também é um mar imenso, partilho convosco uma crónica de 1142.
" Há nele (Tejo) tanta abundância de peixe, que os habitantes acreditavam que dois terços da sua corrente são água e outro terço de peixes. É também rico de mariscos como de areia, e é principalmente de notar que os peixes desta água conservam sempre a sua gordura e sabor naturais sem os mudar ou corromper por qualquer circunstância como acontece entre nós..."

Fragmento da carta de um cruzdo inglês , que assistiu `tomada de Lisboa (1142)
Biblioteca da Universidade de Cambridge
E, agora acrescento... Quem sabe se com a despoluição recente do rio Tejo ele não volta às suas origens? :)) :))

O frio dos dias.... uma economia a tremer ...

"Logo que na ordem económica não haja um balanço exato de forças, de produção, de salários, de tabalho, de benefícios, de impostos, haverá uma aristocracia financeira, que cresce, reluz, engorda, incha, e ao mesmo tempo uma democracia de produtores que emagrece, definha e dissipa-se nos protelariados"
Eça de Queiroz, in Prosas Bárbaras

segunda-feira, 24 de janeiro de 2011

O povo "bota" onde "bota".... e depois....





























Como dizia MRS, na TVI24, Cavaco foi o único presidente da república, até hoje , que vem do povo, que andou na Escola Comercial....
E depois, é aí que ele vai buscar o voto de confiança, ao povo ?
Talvez, quem sabe...

domingo, 23 de janeiro de 2011

sábado, 22 de janeiro de 2011

RE-RITE Leicester Documentario


A mesma instalção de que falei no post anterior, mas eem Londres em 2010.

Re-Rite -- Be the orchestra [MUDE Lisboa]

Bom fim de semana... se estiverem por perto, não percam

Até ao próximo domingo , via Gulbenkian, o MUDE, Museu do Design e da Moda,no 3º piso, nunca aberto ao público, recebeu uma instalação audiovisual interativa Re-Rite. O mesmo é dizer que num amplo andar dividido por salas consagradas aos diferentes instrumentos, todos os visitantes vão poder imaginar-se a ocupar o lugar de um dos cem músicos da Philharmonia Orchestra a interpretar A Sagração da Primavera, de Igor Stravinsky, uma das mais importantes e revolucionárias peças musicais do século XX.




"Estar no meio de uma orquestra , experimentar a sensação de 101 músicos a tocar A Sagração da Primavera, faz correr a adrenalina, e é algo que quero partilhar com o mundo"

ESA-PEKKA SALONEM (MAESTRO)

O ato de criar precisa de uma força dinâmica, e que força é mais potentedo que o amor?

Igor Stravinsky



sexta-feira, 21 de janeiro de 2011

Humor... quase negro

Crime do Padre Amaro, de Paula Rego
Tenho tanto horror à cara do hipotético vencedor das eleições de domingo que nem as caricaturas de Pitecos sou capaz de colocar nesta casinha, pelo que, vos convido a clicar no seu link e ver para sorrir...

quinta-feira, 20 de janeiro de 2011

Matisse, 1912
Matisse pintou recorrentemente um aquário.
Podemos dizer que para ele é uma maneira de fazer o seu autoretrato?
Matisse dizia que vivia como um peixe vermelho e que o seu atelier era o seu aquário...

A minha felicidade momentânea, pode ser a de olhar a felicidade dos meus peixes


Poissons rouges, de Matisse, 1912

Femme devant un aquarium, 1923/24

"Fujo a sete pés das pessoas avinagradas, de rosto amargo e ar de terem crescido no interior de um frasco de pickles, pois acredito que a felicidade é contagiosa, como defende Nicholas Christakis, investigador de Harvard.
"In Diario de Noticias,de hoje...

"
É uma rematada idiotice tentar medir a felicidade", de jorge Fiel

quarta-feira, 19 de janeiro de 2011

Poemando...

Nem sempre a vida deixa comandar o sonho....

Pintura de Marc Chagall, 1923
O Pedro é um amigo especial do meu filho António. Pertence ao núcleo duro das amizades feitas quando se deu a entrada no secundário...
O Pedro faz hoje 33 anos , e, o pai, que andava numa luta de vida com a morte partiu hoje.
Eramos ambos cúmplices e "sofredores" dos tempos em que trimestralmente íamos às reuniões de encarregados de educação e em que o comportamento dos nossos filhos e do tal núcleo duro, tudo bons alunos, não era o mais abonatório para muitas vezes os" profes"poderem levar as aulas a bom termo...
Ficávamos "enrugados" com as propostas que outros pais faziam em relação aos nossos filhos homens... e , hoje , tudo gente bem sucedida na vida.
No 11º e 12º anos, o Prof. Miguel, diretor da turma apaziguou-nos : - eles são assim , porque são excessivamente felizes... e têm que deitar cá para fora essa felicidade.
Estou sofrida e tenho-o andado pois não me imaginava tão ligada ao pai do Pedro, nos seus 55 anos de idade, pelas cumplicidades da adolescência doirada dos nossos queridos rebentos.
Vim do velório mas o sorriso veio-me à cara, as lágrimas aos olhos, quando vi as queridas ex-professoras babadas e sorridentes , curiosas do saber de cada um deles.
E a vida vai continuar, com o Pedro a lembrar toda a vida, que no dia 19 de janeiro, dia dos seus anos, também fará anos que o pai patiu para junto de um Deus em que acreditava.

terça-feira, 18 de janeiro de 2011

"o sonho comanda a vida"...

Red Bouquet, de Marc Chagall

Poemando...

segunda-feira, 17 de janeiro de 2011

"Ele" é um verdadeiro campeão de xadrez....

Dois jogadores de xadrez, de Antonio Abellan

Cuidado, ele pode estar mesmo ao seu lado, o psicopata ou o psicosocial, (clicar na côr) um verdadeiro jogador de xadrez...
Dicas para decobrir o psi... que pode ter ao seu lado....



domingo, 16 de janeiro de 2011

Amadeo de Souza-Cardoso

Boa semana....



Um dos bonitos livros que coração amigo deixou na minha biblioteca foi um facsimile de Flaubert e Amadeu de Souza-Cardoso " La Légende de Saint Julien L`Hospitalier".

Ela está aí a ser representada no Teatro S. Luís. Ei-la.

quinta-feira, 13 de janeiro de 2011

3 Pianos Traz outro amigo também & Perpetuum Mobile

Assim foi... no fim , um certo sabor a papel de música...


A palavra é um retrato feito a sons.

Teixeira Pascoaes (1877-19529)

In Senhora da Noite. Verbo Escuro

terça-feira, 11 de janeiro de 2011

Jacqueline du Pré Cello solo

O tempo e a música...


Forno comunitário de Castelo Bom ( Beira Alta)

domingo, 9 de janeiro de 2011

(Le Concert) | Cena Final | Concerto de Tchaiko...

Le Concert, um verdadeiro poema, porque não um dos filmes da minha vida?


Na época de Brejnev, Andreï Filipov era o maior maestro da União Soviética e dirigia a célebre Orquestra de Bolshoï. Mas após ter recusado separar-se dos seus músicos judaicos, entre os quais o seu melhor amigo Sacha, foi afastado em plena glória. Trinta anos mais tarde, ele trabalha todos os dias no Teatro de Bolchoï… como empregado de limpeza. Uma noite, quando Andreï fica a tratar das limpezas até tarde, dá de caras com um fax endereçado à direcção do Teatro - um convite do Teatro de Châtelet para que a Orquestra de Bolshoï vá tocar a Paris. Subitamente, Andreï tem uma ideia louca: porque não reunir os seus antigos companheiros, que hoje em dia vivem de pequenos trabalhos e dirigi-los em Paris, fazendo-os passar pela orquestra de Bolchoï? É a oportunidade tão aguardada de, finalmente, se vingarem…

O filme já estreou em Novembro, mas só agora "apareceu" aqui à porta ou eu andei por outras paragens. Não o deixem fugir....

??????????????????????


Não vou desenrolar aqui uma verdade comprovada, estudada e praticada. O desporto escolar.
Não vou mais uma vez contar aqui, o sucesso que a minha escolinha básica do Castelo de S. Jorge, obteve com crianças, que durante 8 anos, 2 turmas, do pré até ao 4º ano tiveram com a prática do exercício físico e da musica, fomentada e paga pela autarquia e pais e também por voluntários devidamente aproveitados...
Aquele grupo de crianças fez a diferença à medida que iam crescendo em idade e maturidade...
Hoje, leio aqui, que mais cravos desta vida de revolução de Abril, vão continuar a murchar, cada um à sua maneira...
Pobre país...

25 de Abril 1974 - Revolução dos Cravos , mas um cravo murchou no dia de hoje....

Vitor Alves, partiu... Para nós que vivemos o 25 de Abril de 1974, jamais o esqueceremos
.... A minha simples homenagem.

sexta-feira, 7 de janeiro de 2011

Bom fim de semana...

Divulgar e visitar....



Caros leitores,

Actualmente existe, em Lisboa, uma livraria absolutamente única no
país: uma livraria integralmente dedicada à poesia. Sucede, contudo,
que, apesar de fantástica, ela encontra-se com alguma dificuldade em
sobreviver. O que não se compreende: tem à sua frente um jovem
livreiro que, além de extremamente eficiente, como verão, possui um
total conhecimento do que está a vender: conhece os autores, as
edições, tudo.
A livraria de que vos falo chama-se Poesia Incompleta, fica na Rua
Cecilio de Sousa nº 11 (Príncipe Real) e vai com certeza ser uma
revelação para quem a visitar. Abrange todas as épocas e o que não
tem, o Mário, o dito livreiro, arranja, normalmente - e com uma
brevidade que, no mínimo, surpreende.
Peço-vos - a vos que sois leitores, presumo - que façam uma visitinha
a este sitio, que não pode de maneira nenhuma fechar e que, pela sua
qualidade, vai-se tornar, mais tarde ou mais cedo, como aliás disse
Vasco Graça Moura, num local de culto. Isto, claro, se não fechar,
coisa que, passando a palavra e recomendando a amigos este tão
singular espaço, podemos evitar.



(chegado via email )

Vidas....


Se a moda pega por cá , os bruxos(as) portugueses não terão mãos a medir, e os maus olhados vão campar por aí... (ver aqui)
Pintura de Ricardo Frantz, "Bruxo e Bruto nos tempos do Kamikaze"

quinta-feira, 6 de janeiro de 2011

Cantar das Janeiras




Não sei bem se vou ter coragem de arrumar o meu presépio amanhã pela manhã...
Foi um sonho de presente recebido que fez as delicias dos donos da casa e amigos que os visitaram.
Figuras tipo marionete, de pernas móveis, dava para cada um escolher a posição mais ilariante e adequada aos tempos modernos... Figuras muito mais simpáticas que muitos humanos que por aí pululam...
Das "Janeiras", (ler aqui) nem vos falo. Até há uns anos atrás vinham cantá- las aqui ao prédio. Coisas do associativismo....

Mais uma vez , bom ano.

Dia de Reis, poemando...


OS REIS MAGOS

Gaspar, Melchior e Baltazar são diferentes dos outros. Não precisam de clientes nem de desgraças. Jamais se enganaram. Ao longo dos tempos – nunca lhe foi arremessada uma pedra.

São reis que abrem generosamente os cofres, que se prosternam num estábulo e o perfumam, que se conduzem pelos sinais celestes e pelas palavras dos sonhos.

Todos os anos colocam uma estrela que vai pela noite adiante iluminando o caminho,
E acertam sempre no seu horóscopo adorando o menino.

ANTÓNIO OSÓRIO (1933)
A Luz Fraterna
In Poemário 2011
Pintura de Josefa de Óbidos, sec. XVI

"Música" para os ouvidos, com muito ruído...






No Público de hoje, 5/01, Rui Graça Feijó, investigador e apoiante á candidatura de Manuel Alegre, escreveu uma “Carta aberta a Mário Soares” que foi um deleite de leitura…
Passo a transcrever o que considerei mais provocatório, na medida em que ambos, Soares e Feijó não têm dúvidas que ambos desejam ver um novo rosto no Palácio de Belém.
“Venho antes lançar-lhe um desafio (à minha altura, que não à medida do seu papel na História da nossa modernidade): siga os ditames da sua consciência, mais uma vez homem livre que sabe bem os perigos e as ilusões que a fidelidade partidária acarretam, e apoie sem rodeios o candidato presidencial da sua preferência – que toda a gente sabe não ser o candidato apoiado pelo PS e que eu, há muito no mundo dos que não têm filiação partidária, também apoio. Milite na sua campanha. Empenhe-se com frontalidade na contenda eleitoral. Ajude a acrescentar um pouco que seja à aura do seu candidato, retribua os sapos que muitos portugueses engoliram para votar em si e declare o seu apoio em quem estiver em liça contra o candidato da direita – assim como eu me comprometo a militar activamente nessas três semanas em prol de quem estiver em condições de disputar a presidência em nome da mudança. Acredito que não deixará de assumir este compromisso com espírito de fraternidade.
O momento que atravessamos, como muitas vezes o tenho ouvido dizer, é de profunda preocupação. "...


Hoje Francisco Lopes teve a merecida entrevista cuja avaliação aqui deixo ,por CP, do POLITEIA.*****(um código nosso...) por sua graça , costuma chamar a Judite de Sousa, "primeira ministra de Sintra"... :))*
*Errata: sra dona primeira dama de Sintra :))

quarta-feira, 5 de janeiro de 2011

Malangatana , os deuses chamaram por ele... dizem que o céu está com falta de côr...


Amores de António e Cleopatra

.



Amores de António e Cleopatra


Pelas tuas mãos medi o mundo
E na balança pura dos teus ombros
Pesei o ouro do Sol e a palidez da Lua.

Sophia de Mello Breyner Andresen

terça-feira, 4 de janeiro de 2011

segunda-feira, 3 de janeiro de 2011

Para começo de semana... Vidas

Paul Klee
"Eu creio, malgrado tudo, na vida generosa que está por aí; creio no amor e na amizade; nas mulheres em geral e na minha em particular; nas árvores ao sol e no canto da juriti; no uísque legítimo e na eficácia da aspirina contra os resfriados comuns. Sou um crente - e por que não o ser? A fé desentope as artérias; a descrença é que dá câncer. Pelo bem que me quereis, amigos meus, não vos deixeis morrer. E amai, amigos meus. Amai em tempo integral, nunca sacrificando ao exercício de outros deveres, este, sagrado, do amor. Amai e bebei uísque: quatro, cinco uísques por dia nunca fizeram mal a ninguém. Amai, porque nada melhor para a saúde que um amor correspondido. Mas sobretudo não morrais, amigos meus." ( de Vinícius de Moraes)

Adoro ler Nelson Atayde no jornal "i", e, sempre que posso," roubo "algo para partilhar ou enviar a alguém amigo mais distraído...
Ou como diria o meu tio Olavo: "A felicidade não é uma estação aonde chegamos, mas uma maneira de viajar."

domingo, 2 de janeiro de 2011

À corja, agradece-se o ano que passou e o que há-de vir...



Poema de agradecimento à corja

Obrigado, excelências.
Obrigado por nos destruírem o sonho e a oportunidade
de vivermos felizes e em paz.
Obrigado pelo exemplo que se esforçam em nos dar
de como é possível viver sem vergonha, sem respeito e sem dignidade.
Obrigado por nos roubarem. Por não nos perguntarem nada.
Por não nos darem explicações.
Obrigado por se orgulharem de nos tirar
as coisas por que lutámos e às quais temos direito.
Obrigado por nos tirarem até o sono. E a tranquilidade. E a alegria.
Obrigado pelo cinzentismo, pela depressão, pelo desespero.
Obrigado pela vossa mediocridade.
E obrigado por aquilo que podem e não querem fazer.
Obrigado por tudo o que não sabem e fingem saber.
Obrigado por transformarem o nosso coração numa sala de espera.
Obrigado por fazerem de cada um dos nossos dias
um dia menos interessante que o anterior.
Obrigado por nos exigirem mais do que podemos dar.
Obrigado por nos darem em troca quase nada.
Obrigado por não disfarçarem a cobiça, a corrupção, a indignidade.
Pelo chocante imerecimento da vossa comodidade
e da vossa felicidade adquirida a qualquer preço.
E pelo vosso vergonhoso descaramento.
Obrigado por nos ensinarem tudo o que nunca deveremos querer,
o que nunca deveremos fazer, o que nunca deveremos aceitar.
Obrigado por serem o que são.
Obrigado por serem como são.
Para que não sejamos também assim.
E para que possamos reconhecer facilmente
quem temos de rejeitar.

Joaquim Pessoa

A Corja, uma publicação De Leal da Câmara. Refere-se aos EUA, mas como" a corja" não tem nação, aproveitei-a.

Matiné dançante. A (o) menina (o) dança?