quinta-feira, 30 de janeiro de 2014

O Espantalho da "Praxe" Coimbrã.... Leituras breves

Das últimas páginas do livro:
«[...] Quer-me parecer que a praxe, constituindo um fim em si mesma e apelidada fraudulentamente de tradição por aqueles que confundem a antiguidade dum objecto com o seu caruncho e com a sua ferrugem, é a grande responsável por este estado de coisas. [...]
Eu e todos os que pensam como eu queremos ser divertidos, mas não queremos que nos obriguem a sê-lo; defendemos a graça, mas não a graça violentada; desejamos a alegria, mas quando é a alegria para todos, não bruteza e grosseria para uns e humilhação para outros; somos pela irreverência, pela reinação, pela piada, por isso não as queremos matar com regulamentos. E achamos que troçar os alunos do primeiro ano, simplesmente por serem do primeiro ano, que ofendê-los cobardemente sem lhes permitir defenderem-se está mal, mesmo que se fizesse em todas as universidades do mundo, mesmo que viesse dito nas Escrituras. [...]»

Livro datado de 1958

Fonte, FRENESI LOJA

"O Livro da Ensinança" ... ou o verdadeiro forró...


"
"O Livro da Ensinança de Bem Cavalgar Toda a Sela.".. Nova proposta de curso na Universidade Lusófona. AQUI

Aconteceu...

Aconteceu em Lisboa, em 1983. Peter Seeger , esteve entre nós.AQUI

quinta-feira, 23 de janeiro de 2014

Leituras breves mas atuais...

 De um tempo sem memória porque sem futuro, sepultos todos sob um sol de morte fabricado por nossas mãos, apraz pensar que uma pintura como a de Cruz Filipe é um dos seus últimos memoriais fascinantes. E não estranhará supor que esta insólita construção do imemorial seja um dia a memória adequada a este nosso tempo sem ela.
Eduardo Lourenço
in «Cruz Filipe ou o Tempo Imaginário», Colóquio Artes, nº25, 1975
Pinturas de Cruz Filipe de 1980 e 2011

Texto apresentado no catálogo de AZARES DA EXPRESSÃO OU TEATRALIDADE NA PINTURA PORTUGUESA
ALGUMAS OBRAS DO CAM 1987

quarta-feira, 22 de janeiro de 2014

"L'Angelus" de Millet e mais qualquer coisa...

Jean-François Millet (4 October 1814 - 20 January 1875)
The Angelus 1857 - 1859

"L' Angélus" de  Millet

Recolhidos,
os camponeses de Millet olham a terra, 
quando o céu, às Trindades, os convoca.

Forquilha, cesto, carro,
homem, mulher
- já tão longe na história.

Alexandre O`Neill, em a saca de orelhas

Sonhando com dias de sol...

Exposição a não perder... AQUI. A ELECTRICIDADE É CARA  MAS A EXPOSIÇÃO É GRÁTIS....

Ilustração de Ana Ventura

terça-feira, 21 de janeiro de 2014

Claudio Abbado... Requiem... para o bem e para o mal... Sempre.

* reparo aos meus amigos bloggers. Não consigo lançar comentários nos vossos blogues.

segunda-feira, 20 de janeiro de 2014

Pensem o que quiserem...



CHANEL, usa-se na proporção do aumento da riqueza, ou não? Ou quererá o camarada que voltem às MADERAS DE ORIENTE? Se podem, comprem. O pior é que muitos chineses só  podem ir até às MO ou a um simples sabão de glicerina bem cheiroso...


E, já agora , lembram.se as "meninas", quando a família e amigos iam a Espanha e nos encharcavam em Maderas de Oriente?

sábado, 18 de janeiro de 2014

sexta-feira, 17 de janeiro de 2014

Um fim de semana bizarro... Porque a bizarria começa a tomar conta dos nossos dias...

 "Tenho amigos para saber quem eu sou,
pois vendo-os loucos e santos, bobos e sérios, crianças e velhos,
nunca me esquecerei de que a normalidade é uma ilusão imbecil e estéril."

Fernando Pessoa
Trabalhos de Almada Negreiros e sua mulher Sarah Afonso

quarta-feira, 15 de janeiro de 2014

Leituras breves


George Tabori e a sua mulher, escritor e ator húngaro.  Tabori está em frente do busto de Bertold Brecht.


 "Para quem tem uma boa posição social, 
falar de comida é coisa baixa. 
É compreensível: eles já comeram"

Brecht


a demêcia antecipada....

A nossa demência antecipada...
Entre o que temos vivido e o que vamos passar a (des)viver. AQUI
Já fiz pré- aviso ao meu filho...

terça-feira, 14 de janeiro de 2014

melancolia lusitana..." dou-te um verso"

                                                           melancolia lusitana, por Velica

Dai-nos , meu Deus, um pequeno absurdo quotidiano que seja,
que o absurdo, mesmo em curtas doses,
defende da melancolia e nós somos tão propensos a ela!

Alexandre O`Neill

segunda-feira, 13 de janeiro de 2014

to study or not to study. that' s the question...

- Estou indecisa.... Não sei se fique pelo 6ºano ou 9º... ou se fique mesmo pelo Jardim de Infância.
- Mas...  -  perguntei eu.
-Como os meu pais e avós, tenho que me conformar... Tenho pena do que para aí andam a dizer. Não há dinheiro, há que poupar nos professores, escolas... E depois, nem sequer arranjo um trabalho. 
Aconselhei-a. Não sei se bem ou mal.
_ Olha, estuda, lê, lê muito, e muitas vezes e sem vergonha a estória do Capuchinho Vermelho.
Verás quem são os lobos maus da vida. E, se algum dia nos encontarmos, "conta-me como foi"...

Desenho de Alamada Negreiros


Capas Anticrise.

domingo, 12 de janeiro de 2014

Cenas de ódio e pouco amor...

                                                          Autor:Leah Saulnier.

Agricultura, um factor de esperança?
O "rei", que não vai nu...,  di-lo para os rurais que o querem ouvir e para os os lacaios que o querem ouvir...

sábado, 11 de janeiro de 2014

Que viva o real... Bom fim de semana



Nos cinco sentidos, o tacto, é o sentido do concreto, aquele que permite distinguir, mesmo no mundo da electrónica, o que é virtual ou real.

Bom fim de semana, partam para a real do dia de hoje, o Sol.

Gravuras de Jean Saenredam, De entre 1595-1596


quinta-feira, 9 de janeiro de 2014

quarta-feira, 8 de janeiro de 2014

Os olhares do tempo que faz... e mais um verso.

 Somente as coisas tocadas pelo amor das outras têm voz.

Verso de Fiama H. Pais Brandão
Fotografias de 

Alfred Stieglitz

terça-feira, 7 de janeiro de 2014

Dou-te um verso...

Não te consigo enxergar... Estamos à distância do nevoeiro que faz. E sou eu que te o digo...

"ela trazia amor nas suas mãos"

Ruy Belo

Christy Keeney.
Tree of knowlege.
Ceramice.

segunda-feira, 6 de janeiro de 2014

"porque a Poesia é mortal.... "

É curioso. Com a velhice (ou melhor: com esta aparência branca de velhice nos cabelos), os amigos antigos afastaram-se (onde estais e que mal vos fiz?) e começo a ser esquecido... postergado... Ah! Sinto-o bem.
Dantes a velhice era uma atracção. Agora, não passa do começo da morte .
                
                       *

No entanto sinto que arde misteriosamente, não sei onde, um rastilho qualquer independente de mim - que faz vender os meus livros de Poesia.
E ainda bem que os vejo vender em vida, porque a Poesia é mortal - e a labareda que os acende morrerá comigo.

José Gomes Ferreira, em Passos Efémeros, 20 de Dezembro de 1966

E ainda era tão novo...

As lágrimas de Portugal...

Esta foto foi classificada pela National Geographic como a
“foto do dia” (5/12/13).
Foi tirada na Foz do Douro. (podia ter sido do João Viana.... mas ele não sai da Figueira....)

Indo eu, indo eu, a caminho de Viseu...

"A Adoração dos Magos", uma das obras do pintor Grão Vasco, 1501, Museu Grão Vasco, Viseu

domingo, 5 de janeiro de 2014

Um "voo" sem retorno...

                                                      "Eusébio, estoiro no ar"

Um salto para o infinito , sem retorno.
Faria dia 25 deste mês, 72 anos.
Um homem que deu a conhecer Portugal , aquém e além mar.
- Ah! Portugal! Sim Eusébio...
Faz parte na nossa história coletiva. Que se não apague, pois.

sábado, 4 de janeiro de 2014

Para quê falar da agitação marítima ou da terra sombria e de pessoas tristes e a entristecer? Momentos de ouro, os meus...



É feroz aqui o frio
há pássaros de prata, areia preta e animais de tundra.
Aqui os humanos são endurecidos e sagazes, usam de palavras parcas
materiais pobres e hábitos  eficazes.

Maria Andresen

As minha fotografias no Pinhão, 2010

quinta-feira, 2 de janeiro de 2014

Há dias assim...

.
Presente e futuro, incertos... Mas,  o passado e a música ninguém poderá apagar. Só nós mesmos ou as traições da memória. Acontece.

Cai o silêncio nos ombros e a luz
impura, até doer.
É urgente o amor, é urgente
permanecer.

Eugénio de Andrade, Urgentemente

quarta-feira, 1 de janeiro de 2014

"janeirando"...

                             

                             Já as janeiras vieram,
                             Os Reis estão a chegar,
                             Os anos amadureceram:
                             Estamos para durar!

                                                                                                 Vitorino Nemésio, Janeiras